Atacante do Flamengo explica tatuagem sobre jogadores da Chapecoense

O ano de 2016 ficou marcado negativamente com a tragédia da Chapecoense, onde o avião da equipe que disputaria a final da Copa Sul-Americana caiu na Colômbia, matando diversas pessoas. Após o desastre, muitas pessoas foram impactadas, entre elas, Vitinho, do Flamengo, que fez uma tatuagem em homenagem.

Em vídeo divulgado nas redes sociais do Flamengo, Vitinho falou sobre a sua tatuagem, onde ele ressaltou a sua amizade com Alan Ruschel, um dos sobreviventes da tragédia e que jogou com ele no Internacional.

“Estava jogando no Internacional na época e lá tive a chance de atuar com o Alan Ruschel. Fiquei muito sentido com tudo que aconteceu e quis fazer essa homenagem a todos os atletas, todas as pessoas que estavam naquele voo. A gente sente porque faz parte do nosso dia a dia, imaginei que poderia ter sido eu. Fiquei muito sentido. A tradução da minha tattoo é que “pessoas legais nunca morrem”. E eles estarão pra sempre em nossos corações”, explicou Vitinho.

Na tatuagem de Vitinho, que fica no braço, uma frase em inglês é a homenagem, com a tradução: “pessoas legais nunca morrem”

Veja o vídeo: