Empresário de Arrascaeta tenta parcelamento de direitos, e Flamengo propõe aumento, veja!

Com a proposta de valorização salarial oferecida a Arrascaeta, o Flamengo pretende desembolsar 40% a mais do que atualmente paga ao jogador. O que representa, com luvas e impostos, um custo quase 60% maior, equiparando-o a Gabigol. O valor agrada ao atleta e também a seu empresário, Daniel Fonseca. No entanto, a contraproposta é que, além do aumento e do novo vínculo até 2026, o clube compre os 25% dos direitos econômicos restantes ligados ao Defensor de forma parcelada.

Essa foi uma alternativa apresentada pelo agente à diretoria, com aval do atleta, que entende que todos devem ser beneficiados em uma renovação desse porte. Sobretudo depois do esforço feito pelo jogador e seu empresário para sair do Cruzeiro em 2019. Sem contar o desempenho de Arrasasta até então.

O Flamengo reconhece que o jogador e o seu representante adotam postura cordial nas negociações, mas sinalizou não ser possível adquirir o percentual agora, nem se comprometer com endividamentos futuros. Fonseca aceita que o pagamento de 5 milhões de euros (R$ 30 milhões) seja em até quatro anos.

Com isso, o agente ganha a comissão dele, de 1 mi de euros. Como o percentual seria pago no Uruguai, há 18% de imposto em cima do valor. Que totalizaria 7 milhões de euros, mais de R$ 40 milhões.

Dirigentes e empresário tentam tirar jogador do circuito para que ele foque no campo, mas a relação de pai para filho o com Daniel Fonseca torna o acordo complexo. As conversas seguem em tom amistoso, mas já há falta de paciência dos dois lados para uma solução. A ideia era que Arrascaeta voltasse da seleção uruguaia com tudo resolvido, e nos próximos dias há chance disso ocorrer.

Todos os lados entendem que a permanência do jogador satisfeito é a melhor solução, e um denominador comum é esperado em breve. O atual vínculo é até 2023, e não há propostas tão boas para levar o jogador do clube.